Feeds:
Artigos
Comentários

É com muita mágoa que hoje faço este comentário. Foi referido neste blogue o trabalho de muitos alunos, professores e encarregados de educação na manutenção e recuperação dos espaços exteriores da escola (vejam as fotos em datas anteriores) mas, se escrevemos para contar o melhor da nossa escola temos que o fazer também para relatar o que de pior acontece nesses espaços.

Recebemos as fotos e o comentário “triste” de uma professora que trabalha semanalmente com alunos nesta tarefa sem fim de manter alguns espaços verdes. Para os alunos que estão na escola há poucos anos, lembro que há relativamente poucos anos a nossa escola era a mais bonita da região. Sempre que algum pai ou visitante aqui entrava não podia deixar de comentar” que limpa, que bem tratada, etc”. As roseiras, rodeavam a vedação da escola com centenas de rosas amarelas que eram a delícia de quem passava na rua. Um ano, a escola, recebeu um prémio por ter o jardim mais bonito e cuidado da cidade. Os alunos, sem excepção, não pisavam a relva e nunca soube que algum deles tivesse cortado uma só flor.Não havia nunca um só papel no chão do pátio. Não pensem que era assim em todas as escolas, porque não era. Agora é que os espaços exteriores da nossa querida escola, se parecem com os das escolas de meninos pouco educados.Isto é uma questão de falta de civismo. Vejam as fotos e vão certamente dar-me razão.

Texto e imagens enviado pela professora Maria Elisa Santos do Clube verde

“O vandalismo continua …

As acções de destruição no jardim da nossa escola continuam.

E porque uma imagem vale mais do que mil palavras, aqui deixo estas que falam por si!

banco-small.jpgbanco2.jpg

 

Este banco foi arrancado do chão, com cimento e tudo, pelo que teve de ser recolhido para segurança dos próprios alunos. Agora, há menos um banco no jardim …

 

Menos dois … porque não foi só aquele banco, o alvo das atenções!

banco31.jpg

Primeiro o encosto…

 

banco43.jpg

Depois as costas

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 E por fim… o braço.”

 banco5.jpg

 banco-6.jpg

Maria Elisa Santos”

________________________________________________________

E nós? Somos responsáveis? Claro que somos. Quando vemos e nos calamos. Quando sabemos e nada fazemos. Quando temos responsabilidades e não resolvemos. Para não nos sentirmos também responsáveis divulgamos.

“A ONU escolheu 2008 como o “Ano Internacional do Saagua.jpgneamento“.                      O Dia Mundial da Água ( 22de Março) fez parte desta temática.

A Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou a resolução A/RES/47/193 de 22 de Dezembro de 1992 (p. 22/02/93), através da qual 22 de Março de cada ano seria declarado Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 93, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (sobre recursos hídricos) da Agenda 21(… )A Terra deveria chamar – se ÁGUA“(1) 

Os alunos dos 2º e 3º ciclos da nossa escola, estão convidados a fazer um trabalho sobre  este tema.

Consulta a página da nossa biblioteca  http://bibliotecaairesbarbosa.googlepages.com/

 e segue as “Etapas para elaboração de um trabalho de  pesquisa”.                                     

  • O trabalho deve ser escrito em letra Times New Roman 12 (excepto títulos), com espaço entre linhas 1,5 cm, configurado em papel A4, com margem esquerda/superior de 3cm e direita/inferior de 2cm, com numeração nas páginas. Utiliza Editor Word  ou editores compatíveis.
  • Procura explicar por palavras tuas as ideias. Se tiveres dúvidas escreve um comentário neste blogue.
  • Entrega o teu trabalho na biblioteca até ao dia 16 de Maio em suporte digital ou envia-o para o endereço bibliotecaairesbarbosa@gmail.com. Três professores avaliarão os trabalhos. Aqueles que forem considerados  melhores serão premiados.
    (1) in: D. Afonso XX, o Chato                                                                                                                                                                         Nota:Os trabalhos serão propriedade da Escola e da decisão do júri não poderá haver recurso.  

A tuberculose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria, o bacilo de Koch cientificamente chamado Mycobacterium tuberculosis.. Os sintomas incluem tosse persistente, falta de ar, perda de peso e dores no peito. Se não for tratada pode agravar-se  provocando a morte.

O dia  24 de Março foi escolhido para o dia de combate à tuberculose em homenagem ao  descobrimento do bacilo causador da tuberculose, que ocorreu a 24 de Março de 1882, por Dr. Robert Koch. Como passa a bactéria de uma pessoa para outra?

 

 

 A prevenção habitual é a vacina BCG, aplicada nos primeiros 30 dias de vida e capaz de proteger contra as formas mais graves da doença. Se houver a contaminação, o tratamento dura em torno de seis meses. Se o tuberculoso tomar a medicação correctamente, a hipótese de cura chega a 95%. É fundamental não interromper o tratamento, mesmo que os sintomas  desapareçam.

Números da doença

 

  • 1/3 da população mundial está infectado com o bacilo da tuberculose;
  • 5% a 10% dos infectados contraem a doença;
  • 30 milhões de pessoas no mundo podem morrer da doença nos próximos dez anos;    Textoe imagens: hospital de Santa Lúcia (adaptação)

Dia da árvore

Um dia da árvore é pouco, muito pouco para travar a destruição de florestas no mundo. Observa o vídeo em:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM720626-7823-AMBIENTALISTA+REGISTRA+IMAGENS+DE+QUEIMADAS+NA+AMAZONIA,00.html

Este filme, de Gerard Moss mostra uma queimada na Floresta Amazónica, na região norte 275px-fogospt.jpgde Mato Grosso. A devastação, para produção de biocombustiveis, pode ser mais uma  causa da diminuição das chuvas na região. O mesmo está a acontecer um pouco por todo o mundo.

Alguns movimentos cívicos despontam como “Amazônia para sempre”. Embora em português do brasil vale a pena ler o seu manifesto em: http://www.amazoniaparasempre.com.br/     

E Portugal?

 Para que tenhas uma ideia observa a fotografia(ao lado) de  Portugal visto do espaço reconhecendo-se o fumo de alguns grandes fogos no Verão de 2003. Desde então os incêndios continuaram, e milhares de hectares de floresta foram destruídos.

A pátria de Olavo Bilac

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!imagem662.jpg
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…
A Pátria
Quem com o seu suor a fecunda e humedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste.


Aqui vai a resposta e as imagens, que agradecemos, enviadas pela professora Maria Elisa Santos, para responder ao pedido de Juliana Veiga. Esta pretende fazer um trabalho sobre borboletas e precisa de mais informação.Esperamos que esta colaboração lhe seja útil. Bom trabalho.

“Para satisfazer o pedido anexo uma cópia de um Guia de Campo das borboletas mais comuns de Portugal, editado pela Tagis – Centro de Conservação das Borboletas de Portugal (www.tagis.net).

Ainda sobre este tema, existe um livro muito interessante “As Borboletas de Portugal” de Ernestino Maravalhas, sendo o autor também o editor. O distribuidor Internacional é Apollo Books http://www.apollobooks.com apollobooks@vip.cybercity.dk

Esta belíssima obra de Ernestino Maravalhas faz uma introdução aos insectos, trata a Evolução das Borboletas, a sua Biologia, Predadores e Parasitas, Migração, Os Biótopos das Borboletas, Ecologia das Borboletas, Conservação das Borboletas, Monografia das Borboletas do Continente que inclui a Classificação de cada espécie, Distribuição, Descrição, Biologia, Situação na Europa e em Portugal.”

Maria Elisa Santos

borboletas-comuns-em-portugal-1-small.jpg

borboletas-comuns-em-portugal-2-small.jpg

mimosa1.jpg

É linda e sensível esta planta que vive em climas quentes em várias regiões do mundo.

Para os que nunca viram uma planta sensitiva aconselho o pequeno video da Mimosa púdica . Podem ver como reage ao toque. A diversidade da vida no nosso planeta é uma maravilha que tem que ser mesmo preservada.

http://www.youtube.com/watch?v=g0LFBM3hOLs